Blog

Um bando de animais com a cara coberta

Um bando de animais com a cara coberta

Os seres humanos estão sendo cozinhados em água quente há muito tempo pela elite globalista. O que vivenciamos atualmente apenas mostra isso de forma plena e absoluta. 

As pessoas simplesmente obedecem, sem nem sequer saber porquê. 

Ao analisarmos todo o cenário do coronazismo — em sua totalidade — fica evidente que a sociedade está sendo paulatinamente adestrada; seres humanos estão sendo de fato tratados como se fossem animais em um grande curral.

Não é sem razão ou motivo que a obediência está sendo promovida e glorificada como a mais venerável e honrosa de todas as virtudes. O sistema faz isso simplesmente para minimizar a resistência das pessoas. Como resultado, as pessoas apenas obedecem. Algumas porque temem um vírus "mortal" e "perigoso" — alardeado pela mídia como se fosse o mais "mortífero" de todos os tempos — e outras simplesmente obedecem, porque se acostumaram a obedecer. Ligaram o botão da obediência no piloto automático, e não se importam mais. São de fato animais irracionais guiados por instinto e condicionamento.

Toda essa degradação, no entanto, só acontecerá conosco se permitirmos. Dentro da medida do possível, não podemos deixar a tirania histérica das massas ameaçar nossa humanidade interior. Não podemos nos desumanizar, apesar dos esforços do sistema em fazer o contrário. Precisamos exercer nossas faculdades de raciocínio, precisamos fazer tudo aquilo que nos torna humanos.

Simplesmente obedecer, como o sistema está efetivamente condicionando as pessoas — sem questionar, contestar, avaliar quão terrivelmente absurdo é o cenário em que estamos inseridos —, além de imoral e irracional, é terrivelmente desumano. 

Infelizmente, as pessoas foram tão adestradas pelo sistema, que tornaram-se completamente incapazes de compreender as bestialidades e o grau insano de irracionalidade das exigências que o sistema impõe a elas.

Se as pessoas estão se transformando em animais simplórios e domesticados — programados para obedecer —, que nos tornemos mais humanos. Contestando, questionando, protestando e desobedecendo o sistema, em todas as ocasiões possíveis. Que nossas ações demonstrem e denunciem quão pérfido, tirânico, deplorável, degradante, desprezível e maledicente é o coronazismo. Que sejamos a resistência que impeça o sistema de reinar soberano e absoluto sobre tudo e sobre todos, perturbando o despotismo da tirania nas pequenas e nas grandes ações.   

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.