Blog

Quarentenas, lockdowns, distanciamento social, vacinas periódicas — Elementos de uma nova ideologia totalitária

Quarentenas, lockdowns, distanciamento social, vacinas periódicas — Elementos de uma nova ideologia totalitária

A covidocracia — sem dúvida nenhuma —, já se estabeleceu como um governo global totalitário, determinado a subjugar todas as pessoas a uma tirania mundial, com uma prerrogativa sanitária. Desde o princípio, a nova tirania escancarou o seu totalitarismo, que foi estabelecido com a conivência da população, tendo sido chancelado pela doutrinação das massas através de uma mídia corporativa corrupta, subserviente aos interesses globalistas.

Agora, com a vacinação em massa da população, testemunhamos uma nova etapa da tirania; diversas empresas, como companhias áereas, já informaram que passarão a exigir a vacina dos seus clientes, como uma condição compulsória para utilizar os seus serviços. Uma boa parte da população, devidamente enganada e ludibriada pelo sistema, suplica não apenas pela vacina "milagrosa" e "redentora" — achando que ela serve para algum propósito médico real —, como também suplica pelo certificado de vacinação digital, que em breve identificará quem foi vacinado e quem não foi. A estratégia globalista de inocular o pânico e o medo nas pessoas obteve tanto êxito que elas próprias suplicam por controle e escravidão.

Como a covid foi basicamente, uma gripe, chega a ser inacreditável perceber que — para o sistema — foi necessário tão pouco para subjugar plenamente a população mundial, deixando-a completamente refém do medo, do pânico e da tirania. Evidentemente, todo esse medo foi devidamente inoculado nas pessoas com o auxílio da mídia, que abastece diariamente o terror covidiano nos corações e nas mentes do público desavisado através da televisão. De fato, desde que essa crise fabricada começou, os grandes conglomerados midiáticos não se prestaram a outra coisa, dedicando-se quase que exclusivamente à difusão do pânico e o medo.

O que vemos, por fim, é a tirania plenamente estabelecida, com amplas prerrogativas para expandir os seus poderes, sempre com a aprovação do populacho servil e ignorante. As próximas fases da escravidão globalista virão com vacinas compulsórias, certificado de vacinação — que será como uma tatuagem invisível na pele —, o sistema de controle social, a implantação do microchip subcutâneo e a erradicação do dinheiro físico.

Evidentemente, os alienados dirão que isso tudo é loucura. Continuarão chamando fatos concretos de teoria da conspiração, mesmo que eles continuem a ser implantados em plena luz do dia, escancaradamente, aos olhos de todos. Com isso, aprendemos que o êxito da tirania depende principalmente da letargia e da apatia da população.

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.