Blog

Qual é o verdadeiro legado do PT?

Qual é o verdadeiro legado do PT?

O PT, sem dúvida nenhuma, foi a pior coisa que poderia ter acontecido para o Brasil. O seu pérfido e corrosivo legado, evidentemente, fala por si só, não tendo um único aspecto positivo – por mais irrisório que fosse –, a ser defendido. O diagnóstico do PT é similar ao de uma enfermidade nefasta, pois esta organização criminosa foi uma grande metástase para o país. Doença, esta, que está desesperada para voltar ao poder, e continuar a difundir os seus corrosivos sintomas pela nação.  

Além dos piores escândalos de corrupção na história da política mundial – com sorrateiros, tórridos e virulentos desfalques às estatais, com prejuízos na casa dos bilhões de reais –, o PT revelou-se, na verdade, uma organização criminosa da pior espécie, engendrada com a finalidade única de se servir do país, para enriquecer a alta cúpula do partido, bem como todos os seus associados da iniciativa privada. Tudo isso com a finalidade de perpetuar-se no poder. Como se isso fosse pouco, doutrinaram uma militância extremista fanática, que odeia fatos e tem um profundo desprezo pela realidade. Para esta militância sórdida, cruel e agressiva, composta por uma legião de vagabundos profissionais fracassados que não se arriscam a um único dia de trabalho honesto – sendo completamente destituídos de maturidade, sensatez e capacidade de raciocínio –, o que importa são as mentiras contumazes deliberadamente expressas na cartilha do partido e, acima de tudo, a onipotência do seu poderoso deus, Lula, a quem foi consagrado com um ostensivo e deplorável culto de personalidade. Na mentalidade dos militantes do PT, Lula é um deus, e não se deve mexer com, tampouco questionar, deus. 

Não obstante, as mazelas criadas por esta organização criminosa provaram-se letais para o país, em praticamente todos os sentidos. Com a gritante irresponsabilidade fiscal, consequência natural de um estado regulador caro e gigantesco, que gasta mais do que arrecada – elemento inerente ao socialismo –, vimos ser deflagrada a maior recessão financeira da história desse país, que destroçou aproximadamente um milhão e duzentas mil empresas, e deixou quatorze milhões de brasileiros desempregados. Mas isso não foi o suficiente para abalar os petistas, que ficaram indignados com o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Pouco se lixando para os milhões de trabalhadores – que o PT hipocritamente afirmava defender –, esta gente detestável obcecada pelo poder demonstrou um incomensurável desprezo pelos problemas gerados pela recessão, e pelos milhões de brasileiros que, por conta da péssima gestão governamental petista, repentinamente perderam os seus empregos e o seu meio de sustento. Tudo o que queriam era que o PT, que mostrou-se capaz de causar um estrago no país semelhante ao de uma bomba atômica, continuasse no poder. Tudo isso sem demonstrar a menor consideração ou empatia pelos brasileiros atingidos pela recessão. 

A corrupção sistêmica que instalou-se nas mais elevadas esferas de poder viu o fenômeno do capitalismo clientelista consolidar-se de forma consistente, como nunca antes havia ocorrido na história do Brasil. Através do BNDES, corporações cujos proprietários eram amigos do governo – e aqui, poderíamos citar com ênfase, além do criminoso oportunista Eike Batista, a Odebrecht – consolidaram cartéis monopolísticos, através do qual corroeram o mercado e a livre concorrência, para viabilizar a conformação de um corporativismo mercantilista, que enriqueceu a alta cúpula do partido, e todos os seus associados do setor privado.

O assalto praticado contra as estatais, especialmente a Petrobrás, então, revelaram de forma explícita as intenções do PT, no que diz respeito à enriquecimento ilícito e permanência indeterminada no poder. Se servindo do país de forma obscena, com descaramento e truculência, os membros da organização criminosa – e nesta questão, Lula se sobressai de forma tão depravada quanto doentia –, são prepotentes e arrogantes o suficiente para se fazerem de vítimas, sempre que seus crimes são apontados pela justiça. Em uma completa e total inversão de papéis, para esta gente sádica, satânica e fanática, tudo é culpa da República de Curitiba, da Polícia Federal, da Procuradoria Geral da República, do Ministério Público, do juiz Sérgio Moro, de Deltan Dallagnol. Mas a culpa jamais é do PT. O "partido" (organização criminosa) é puro, imaculado, honesto e sacrossanto. Nunca nada é culpa do PT, jamais, pois esta entidade sacra é infalível. Muito menos de Lula, que é um deus.  

Com o PT, e seu desprezo evidente por questões relacionadas a segurança pública – também pudera, delinquentes, contraventores, assassinos e marginais da pior espécie são tratados como pobres "vítimas" da sociedade, que jamais precisam arcar com as consequências dos seus erros, afinal, são pobres crianças ingênuas e inocentes, oprimidas pelo sistema – a violência e a criminalidade explodiram de forma aterradora no país inteiro. O malfadado estatuto do desarmamento, criado deliberadamente com a finalidade de impedir civis de se defenderem e facilitar as atividades ilícitas de agressores e criminosos, fez o Brasil tornar-se o quinto país mais violento do mundo, com uma taxa de homicídios de aproximadamente 60.000 pessoas por ano.    

No âmbito externo, o PT financiou diversas ditaduras no exterior, principalmente a cubana, a venezuelana e a guinéu-equatoriana. A Odebrecht até hoje trabalha na construção dos túneis do metrô de Caracas, e o investimento de bilhões de reais, capitaneado pela alta cúpula do PT, foi fundamental para a consolidação da ditadura bolivariana. Tanto Hugo Chávez quanto Nicolás Maduro receberam milhões em propinas, em contas particulares. Cuba e Venezuela receberam bilhões do BNDES, em investimentos muito superiores ao que foi investido pelo PT em território nacional.

O PT, sem dúvida nenhuma, revelou-se a maior catástrofe na história desse país. Nada foi tão deplorável, sórdido e destrutivo para o Brasil quanto a ditadura petista, que serviu apenas para enriquecer de forma ilícita a alta cúpula da organização criminosa, os empresários amigos do sistema, e em escravizar os brasileiros, e, principalmente, os indivíduos que vivem nos países cujas ditaduras foram financiadas por eles. Tendo destroçado a nação de forma sistemática e virulenta, uma recuperação modesta levaria décadas. Além do fanatismo bárbaro, sádico, depravado e doentio –  o que fica patente com Lula, um mentiroso patológico desesperado para livrar-se da prisão a todo custo, que profere toda e qualquer mentira que julgar necessária para beneficiar-se –, está bem claro para todos os brasileiros íntegros, honestos e mentalmente sadios que o PT é uma brutal, agressiva e hostil organização criminosa, desesperada para retomar o seu projeto totalitário de poder, e dar continuidade à destruição do pais. 

O PT já deveria ter sido extinto. Antonio Palocci ficou de revelar, em uma delação premiada, que Lula recebeu um milhão de dólares do ditador líbio Muamar Kadafi para sua campanha presidencial de 2002. Posteriormente, um conhecido de Lula, o pastor Caio Fábio, revelou que a quantia exata recebida de Lula por Kadafi havia sido de trinta e cinco milhões. É proibido pela justiça eleitoral que uma campanha seja financiada com verba do exterior. Esta violação seria suficiente para cassar o registro partidário do PT.      

Não podemos nos enganar. O PT nunca foi um partido, mas uma organização criminosa. É isso que o PT é, é isso que o PT sempre foi, e é isso o que o PT continuará a ser, enquanto existir. Precisamos fazer tudo o que for necessário para acabar com a sigla, e impedir, a todo custo, que volte ao poder. Nem que para isso se faça necessário deflagrar uma guerra civil.   

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.