Blog

PT, PCdoB, PSOL, MDB, PSDB – Lixo da mesma caçamba

PT, PCdoB, PSOL, MDB, PSDB – Lixo da mesma caçamba

O brasileiro comum não possui — na verdade, nunca possuiu — genuína representatividade política. O que temos no cenário político brasileiro é uma enorme profusão de partidos políticos de esquerda, de diferentes nuances, mas todos eles representam basicamente a mesma coisa. Dão diferentes ênfases em tópicos distintos, mas seus discursos são todos iguais. Consideram-se o inviolável supra-sumo da superioridade humana, que luta bravamente contra o "fascismo" da sociedade brasileira, que é o grande "obstáculo" para eles atingirem o ápice da revolução socialista infantil, indulgente, empobrecedora, atrasada e redundante pela qual tanto lutam. Isso, é claro, entre os partidos que efetivamente acreditam na enfadonha e rutilante baboseira marxista. Sim, porque partidos mais "adultos", como o (P)MDB, estão interessados unicamente em ganhar dinheiro, expandir o seu poder político e engalfinhar-se em falcatruas de toda a sorte, em nome da depravação política e do enriquecimento ilícito.  

A verdade, no entanto, é que todos esses partidos, apesar de suas agendas distintas, tem um grande arcabouço de objetivos em comum. Além de implementar o neocomunismo, solidificar o papel centralizador do estado na sociedade e na economia e se perpetuar no poder através de perniciosas coalizões e associações escusas, todos os partidos políticos vendem formas de escravidão, devidamente dissimuladas. Deixar o brasileiro totalmente refém do estado é o único objetivo real a que essa gente se presta. 

Se analisarmos, por exemplo, partidos como PT e PSDB, à despeito de algumas divergências bem superficiais, ambos anseiam exatamente a mesma coisa: transformar o Brasil em um regime totalitário de extrema-esquerda. Ambos discordam dos meios para se atingir esta finalidade — enquanto o PT é um partido de extrema-esquerda radical, ou ao menos assim se define, o PSDB é um partido socialista moderado, que aposta no gradualismo para atingir os seus objetivos políticos. Eles divergem nas táticas adotadas, mas o objetivo final é exatamente o mesmo. 

Boa parte dos partidos políticos — como o PSOL, por exemplo — tornaram-se conexões políticas do crime organizado. A vereadora Marielle Franco, integrante deste partido com forte presença política no Rio de Janeiro, que tornou-se nacionalmente conhecida quando foi assassinada no mês de março, foi eleita pelo narcotráfico, para representar os interesses do crime organizado no ambiente político local. Marielle teria sido assassinada por integrantes do Comando Vermelho, quando traiu a organização por atender interesses de uma organização criminosa rival, o Terceiro Comando da Capital. Logo depois do crime, a midiática esquerda nacional nem esperou o cadáver esfriar para capitalizar politicamente em cima da morte dela, e tentar culpar os militares. 

Os partidos políticos nacionais são pérfidas e nocivas abominações nefastas; não representam mnimamente o cidadão comum, mas interesses bem específicos de quem possui dinheiro para comprar representatividade: o crime organizado, as oligarquias corporativistas, as elites governamentais e os interesses globalistas. Há muito tempo o brasileiro é refém destas insidiosas organizações maléficas que conspiram diariamente contra os interesses da população, para beneficiar única e exclusivamente aqueles que estão no poder. 

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.