Blog

O bestial emburrecimento institucionalizado das massas

O bestial emburrecimento institucionalizado das massas

Atualmente, as massas estão tão emburrecidas e imbecilizadas pela doutrinação da ditadura sanitária que não conseguem compreender de maneira alguma a realidade, tampouco o contexto no qual estão inseridas. Incapazes de perceber como estão sendo manipuladas pelo sistema, as massas se comportam como cordeirinhos dóceis, devidamente programados para obedecer e seguir ordens. Elas não pensam, não raciocinam, não pesquisam, não contestam e não compreendem absolutamente nada. Apenas obedecem. Obediência cega e irracional é tudo o que elas sabem fazer e executar. 

Isso é natural, em decorrência de, pelo menos, dois fatores. O primeiro deles vem do fato de que o sistema de ensino e educação que existe no Brasil — assim como no resto do mundo — não dá educação alguma; pelo contrário, ele fornece doutrinação sistemática aos cidadãos desde a infância. Desde crianças, portanto, as pessoas são doutrinadas a serem subservientes ao sistema, e são condicionadas a considerar a obediência como a mais nobre das virtudes.

As pessoas são condicionadas a obedecer — elas não são estimuladas a pensar, raciocinar e refletir, muito menos a confrontar, corrigir e se posicionar pelo que é certo. O sistema jamais irá estimular o pensamento independente porque isso pode derrubá-lo. O pensamento livre e independente representa uma dificuldade que o sistema combate, doutrinando as pessoas desde a infância.

A verdade é que as massas, desde pequenas, são doutrinadas para a subordinação compulsória. Os seres humanos são programados para serem autômatos servis e obedientes, e pouquíssimas pessoas terão habilidades intelectuais suficientes para se tornarem criaturas pensantes, com autonomia e coragem para pensarem e pesquisarem por si próprias, com o derradeiro objetivo de chegarem às suas próprias conclusões.  

Em segundo lugar, as pessoas são — em sua grande maioria, ao menos — vulgares e simplórias. De maneira que é muito fácil condicioná-las a agir de uma determinada forma.

É relativamente fácil induzir as massas a se comportarem de determinada maneira. Por isso foi tão fácil para o sistema — através de um processo relativamente simples de engenharia social — programar as multidões para se comportarem de uma determinada forma durante a ditadura do coronavírus, condicionando-as a obedecer o sistema em praticamente tudo, e a seguir rituais insanos e irracionais, como se lambuzar de álcool gel a cada cinco ou dez minutos, praticar o famigerado distanciamento social e aceitar medidas destrutivas e prejudiciais, como as quarentenas e lockdowns, como sendo absolutamente necessárias para a proteção e a preservação da vida.

Como a grande maioria das pessoas teve suas faculdades intelectuais comprometidas — arruinadas ainda na infância através de um corrosivo e laborioso processo de doutrinação sistemática— é relativamente fácil para o sistema manipular as massas de acordo com os seus interesses. As multidões, em função de doutrinação sistemática contínua e de um eficiente programa de engenharia social, foram devidamente transformadas em cordeirinhos dóceis, programados para obedecer. 

Infelizmente, o estrago foi tão grande que não adianta, de maneira alguma, tentar despertar as pessoas, tampouco tentar fazê-las pensar ou raciocinar. É um exercício vão. Os seres humanos foram transformados em animais guiados por instinto e condicionamento. São poucos aqueles entre nós que ainda pensam e dominam com plenitude suas faculdades mentais.  

Nós — que estamos acordados — fazemos parte do 1%. Não sejamos românticos, irrealistas ou otimistas nos enganando, achando que as multidões eventualmente irão despertar. Isso simplesmente não irá acontecer.       

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.