Blog

Preparativos para o esforço de guerra

Preparativos para o esforço de guerra

Como descrevi neste artigo, 2018 deve ser um ano a ser usufruído com sensatez e sapiência, para nos preparamos para a grande e titânica conflagração de 2019. 

Evidentemente, a ORCRIM e o Foro de São Paulo estão preparados para tomar o poder. Depois que isso acontecer, eles começarão um sistemático processo de supressão de seus opositores, além da execução de seus inimigos políticos, tanto por motivos de vingança, como para não correrem o risco de serem destituídos novamente. Uma vez que alcançarem o poder, farão de tudo para se proteger da sociedade civil, e instaurar um regime de terror, que buscará sufocar todas e quaisquer ambições de se deflagrarem sublevações populares contra o governo. Com a institucionalização da censura e a estatização dos meios de comunicação, o Brasil vivenciará a implementação de um regime totalitário, que não será fácil de ser destruído, revertido ou mesmo suavizado. Será como a China dos tempos de Mao, só que muito pior.

Todos as regulações judiciais e políticas que buscam a implementação do totalitarismo estão em amplo movimento hoje no Brasil. As reuniões secretas entre Michel Temer e Gilmar Mendes, onde ambos discutem a implantação do semipresidencialismo no Brasil, sem se importar em consultar ou debater o assunto com a população, mostram como o crime organizado está profundamente enraizado não apenas na política, mas em basicamente todas as esferas da sociedade brasileira, decidindo, ajustando e projetando o seu futuro. Tudo para benefício das oligarquias políticas que estão no poder.  

O objetivo é substituir o atual modelo de governo por um regime de semipresidencialismo unicameral, com uma nova constituição ditatorial. É necessário lembrar que, em 2011, o PT havia elaborado uma emenda que propunha a extinção do senado. Todas estas insalubres manobras políticas são meticulosamente planejadas, e executadas muitas vezes de forma discricionária, tendo por objetivo arregimentar maior concentração de poder do governo sobre a sociedade.

Paradoxalmente, a população brasileira, em sua maioria letárgica e sonolenta, ainda não foi capaz de perceber a corrosiva e caótica conflagração que está para abatê-la. Também pudera. Tudo está sendo realizado de forma tão discreta, gradual e silenciosa, que aqueles que abordam o assunto parecem mais alarmistas e teóricos da conspiração, do que indivíduos realmente despertos para todos os malefícios arregimentados pelo grande terror que se aproxima. 

A boa notícia, no entanto, é que todo esse processo ainda não se concretizou. Podemos revertê-lo através de uma guerra civil. Para a população brasileira, descortinam-se três opções: deixar o pais, lutar ou entregarem-se como passivos cordeirinhos, a serem abatidos pela tirania socialista que se instalará no poder. O plano do Foro de São Paulo é apoderar-se de cada país da América do Sul, através da URSAL, a União das Repúblicas Socialistas da América Latina. Os próximos países a serem completamente usurpados serão o Brasil e a Bolívia (com estados que encontram-se completamenre aparelhados, é necessário lembrar que a maior parte deste processo já foi concluído). A menos que suas respectivas populações despertem da sonolência e reajam à altura, com o nível de agressão e violência que o Foro de São Paulo – a maior organização criminosa da América Latina , merece, o resultado final será nefasto. Do nível da Venezuela para pior.     

Antes de mais nada, 2018 deve ser um ano de preparação. Depois, iniciaremos a segunda etapa da grande conflagração da sociedade civil: a fase de libertação. 

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.