Blog

Não é o Brasil que governa o Brasil

Não é o Brasil que governa o Brasil

A URSAL e a UNASUL vão colocar Lula novamente na presidência da república. As urnas eletrônicas fraudulentas irão dar maioria de votos ao soberano petista líder da ORCRIM. Vocês realmente acham que aparelhos eletrônicos inanimados servirão de obstáculo para o Foro de São Paulo? Por favor, um pouco mais de realismo, e um pouco menos de ingenuidade.

A brutalidade da realidade nos mostra que a possibilidade de Lula ser reeleito é de 100%. Ela existe, é real. Todos nós, a esta altura do campeonato, compreendemos isso. Não é sem motivo que a ORCRIM está habilmente mantendo a possibilidade da prisão de Lula fora de seu alcance. E esta prisão – que jamais virá – vem sendo incansavelmente adiada, e assim o permanecerá, indefinidamente. Estas organizações possuem tentáculos em todas as esferas públicas e privadas de poder. 

A burocrática e letárgica (in)justiça brasileira, com sua enorme multiplicidade de recursos jurídicos e legais, irá arrastar o processo continuamente, através dos inúmeros labirintos de requerimentos, comarcas e instâncias recursais, deliberadamente elaboradas para manter a criminosa oligarquia política impune e intocável. Não existirá tempo hábil para barrar o registro da candidatura de Lula. Que só está em campanha para complementar o seu processo de vitimização, escapar, de fato, da prisão, e posteriormente ter em suas mãos o poder para se vingar de todos aqueles que expuseram seus ignominiosos planos de destruição da república, encarcerando e assassinando a todos os que tentaram aplicar a justiça. Não tenho dúvida nenhuma de que o futuro tirano totalitário começará a sua campanha de expurgo pela Polícia Federal e pela Procuradoria Geral da República. Depois desta etapa, virá a censura à imprensa (que poderá, ou não ocorrer concomitantemente).

Acontece que este será apenas um princípio das dores de aflição. Com uma polícia única bolivariana à sua completa e total disposição, o “Lulinha paz e amor” estará livre para consolidar o seu reinado de tirania e terror, destruindo toda e qualquer oposição ao seu regime.

Diante de nós apresentam-se duas soluções: armar a população e formar milícias de resistência para uma guerra civil. E, no processo, torcer para que os militares interfiram, a nosso favor (o que é duvidoso). Ou permitir, passivamente, que o oligárquico totalitarismo comunista nos destrua completamente.

Não é pessimismo de minha parte. É a realidade. É a triste realidade.        

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.