Blog

Democracia - Um péssimo, sórdido e repulsivo sistema

Democracia - Um péssimo, sórdido e repulsivo sistema

A democracia é um péssimo sistema. Definitivamente, de todos os que temos disponíveis, com certeza ainda pode ser qualificado como "o melhor". Mas isso não significa que a democracia deva ser sacralizada como uma das maiores maravilhas que existem no mundo, como vemos frequentemente políticos, jornalistas e indivíduos de outras categorias o fazerem frequentemente, especialmente na grande mídia.   

Ao ressaltar as deficiências e faltas da democracia, isso não significa que eu defenda formas ditatoriais ou autoritárias de governo. Muito pelo contrário: estou cada vez mais inclinado ao libertarianismo e ao anarcocapitalismo, sistemas que defendem a completa e total abolição do estado. Estou, portanto, no extremo oposto do espectro estatista. Eu quero a dissolução do estado (Leia este artigo, que você entenderá ao menos determinados aspectos deste ponto de vista).

É claro que o "nível" de democracia varia muito de país para país, e isso depende de diversos fatores, como o grau de engajamento da população na política, quão corruptos são os governantes e gestores públicos, e quanta liberdade individual a constituição oferece, entre outros elementos. Não obstante, a democracia é um sistema pérfido por diversas razões, e eu vou listar aqui quatro aspectos que considero como sendo os piores. Suas deficiências mais odiosas e problemáticas são, no mínimo, difíceis de serem ignoradas. 

1º - Ao contrário do que você pensa, na democracia, você é irrelevante

Isso pode parecer contraditório, absurdo e até mesmo arbitrário, mas é a verdade. A democracia é um grande teatro político, um sistema completamente elaborado para parecer participativo, sem o ser, de fato. Enquanto passa uma falaciosa aparência de integração social e política, dando a impressão de que você é uma parte fundamental do processo, na verdade, para o sistema, você é apenas um ninguém. Para a classe política, não importa o nível da hierarquia, tampouco a esfera governamental – municipal, estadual ou federal – o que você pensa, suas preocupações, suas inseguranças, suas reais necessidades, jamais serão levadas em consideração, o que dirá que sejam algum dia efetivamente atendidas. Para o sistema, você tem alguma serventia na época das eleições. Fora desse período, você não passa de mais uma ovelha do rebanho. A verdade é que até mesmo nas melhores democracias, como os Estados Unidos, a grande maioria dos indivíduos jamais terá genuína ou fidedigna representação política.

E o sistema é projetado para funcionar exatamente desta maneira, para beneficiar apenas os integrantes da estrutura interna do esquema; todos eles, no entanto, são muito eficientes em ludibriar a população, fazendo-a pensar que ela é parte "fundamental" do processo. Quando são, de fato, encarados pela classe governamental como gado a ser acariciado na temporada de eleições, e depois ignorado e descartado como a porcaria inútil que é. Nesta questão, o Brasil é ainda pior, pois é evidente que não vivemos em uma democracia, mas em um sistema oligárquico, que deliberadamente se reveste de uma fachada de democracia

2º - A democracia sempre irá descarrilhar para o socialismo

Infelizmente, a tendência do estado é sempre crescer. E isso irá comprometer, de forma aguerrida, o nível de crescimento e desenvolvimento econômico da nação, impreterivelmente. Até mesmo os Estados Unidos, hoje, pode ser considerado uma nação socialista. No final da década de 1970, o grande economista americano Milton Friedman, Prêmio Nobel em 1976, afirmou que, naquela época, os EUA era uma nação "no mínimo, 50% socialista". Hoje, o governo federal americano é cinco vezes maior do que era em 1965. Com a expansão do estado, também aumentam os seus gastos, e os impostos cobrados da população. É necessário lembrar também que, com o crescimento do estado, as liberdades individuais diminuem progressivamente, na mesma proporção. 

O presidente socialista Barack Obama foi o indivíduo que consolidou de forma derradeira o socialismo como o sistema governamental preponderante nos Estados Unidos (embora tenha começado muito antes). Tendo efetuado uma colossal expansão do estado sobre a sociedade e o setor privado, com expressiva redução de liberdades, Obama foi definitivamente o pior presidente na história moderna dos Estados Unidos. Nunca antes tantos americanos que não eram pobres ingressaram na pobreza, e americanos que já eram pobres tornaram-se paupérrimos. Estima-se que hoje mais de quarenta e seis milhões de americanos vivam abaixo da linha de pobreza.

Como Obama era um legítimo integrante da esquerda caviar, e a imprensa americana – como no Brasil – é majoritariamente de esquerda, nunca vimos artigos publicados na grande imprensa fazendo uma conexão coerente e direta entre a expansão da pobreza nos Estados Unidos, e as políticas estatistas do presidente socialista Barack Obama. Muito pelo contrário, Barack Obama sempre foi, e ainda é, tratado como um deus pela grande mídia, tanto americana quanto internacional, que, de tão descarada que ficou, nem sente mais a necessidade de abrandar, suavizar ou disfarçar o seu contorno ideológico nitidamente progressista.   

3º - Recessão e pobreza crônica serão inevitáveis 

Infelizmente, como a democracia invariavelmente irá despencar para o socialismo – sim, existem exceções, como o foi o caso da Nova Zelândia, que nos anos 1980, reduziu o estado, e se tornou a terceira economia mais liberal do mundo –, a miséria irá, inadvertidamente, afetar grande parte da população. E o empobrecimento generalizado se tornará uma realidade.  

4º - Você jamais terá uma representação efetiva (a não ser que você seja um militante de esquerda)

Democracias consistem, basicamente, de grupos de interesses, que estarão em constante conflito uns com os outros, disputando os melhores cargos e privilégios. Os grupos de interesses mais abastados, que possuem as melhores conexões, invariavelmente acabarão vencendo a disputa, e assim os seus representantes ocuparão os cargos de maior relevância, influência e poder dentro da esfera governamental. Depois disso, aprovarão leis, emendas e projetos que os beneficiarão, além de agraciar com inúmeras vantagens os oligarcas que os colocaram nos respectivos cargos que eles ocupam, e que foram ali estrategicamente inseridos e posicionados para arregimentar e complementar toda a estrutura de poder almejada pelos líderes do grupo, e assim atender a interesses bem específicos. Adivinha quem eles jamais irão consultar, para analisar, aprovar ou rejeitar qualquer coisa? Você! 

A teoria marxista sobre a ditadura do proletariado não está de todo equivocada, quando enfatiza que uma democracia nada mais é do que a ditadura de um grupo sobre outro. Evidentemente, do grupo mais forte e influente, sobre o mais fraco e irrelevante. No nosso caso em específico, de grandes e poderosas oligarquias, representadas por uma classe política aristocrática e elitista, que domina uma população praticamente órfã, destituída de genuína representação governamental.

Assim como qualquer ditadura, a democracia não inclui você. No entanto, é um sistema inteligente e dissimulado o bastante para fazer as massas pensarem o contrário. Desta forma, reclamam menos, enquanto se iludem com o delirante devaneio de que o sistema trabalha para elas. 

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.