Blog

Carnificina Ampla, Geral e Irrestrita

Carnificina Ampla, Geral e Irrestrita

Enquanto brasileiros conscientes, é fundamental compreendermos que a política não existe para atender aos interesses e as necessidades do cidadão comum. Muito pelo contrário. A política é, necessariamente, uma plataforma para o poder. E, sendo assim, não é incomum que sintam-se atraídos por ela psicopatas desesperados por controle. Indivíduos como Hugo Chávez, Fidel Castro e Luís Inácio são formidáveis exemplos de pessoas de mentalidade tirânica, ávidos por poder. Nunca fizeram absolutamente nada de útil em suas vidas, porém possuíam dentro de si um desejo intrínseco de dominar e comandar. Indivíduos desta estirpe farão de tudo para atingir os seus propósitos e os seus objetivos, e, por isso, vivem engalfinhados em perpétuas disputas políticas. Seu principal ardil é ludibriar a população, e recrutar inocentes úteis para os seus propósitos, através de discursos muito bem ensaiados, proferidos com entusiasmo, vigor e veemência. E o eleitorado, por sua vez, é facilmente enganado pelos psicopatas, cuja força motriz é uma ambição desmesurada, uma patológica obsessão pelo poder.   

Delegarmos poder a seres humanos é sempre muito perigoso; invariavelmente, tais pessoas tenderão a abusar do poder que usufruem, e tudo o que farão será sempre para a consecução de objetivos estabelecidos para ganhos pessoais. Por isso política e corrupção andam sempre lado a lado. Uma não existirã sem a outra. 

Não obstante, é impossível compreender por quê os brasileiros são tão tolerantes. Deveríamos ter nos revoltado e partido para a agressão inúmeras vezes, mas isso nunca aconteceu. Quando muito, vamos para as ruas, protestar. Romenos e moldavos revoltaram-se diversas vezes, em algumas ocasiões, por bem menos do que toleramos. Os romenos derrubaram um ditador, o comunista Nicolae Ceaușescu, em 1989, e no ano passado, saíram aos milhões nas ruas, para protestar contra uma proposta do governo, que pretendia aprovar uma lei de anistia para políticos, acusados de crimes de corrupção.

O que nós, brasileiros, toleramos, é realmente incompreensível. Todos os varões acima de 18 anos com coragem para enfrentar a criminalidade política instituída deveriam se revoltar, e pegar em armas. A vida de nossos dirigentes governamentais não vale absolutamente nada. Toda a classe política brasileira não passa de uma grande oligarquia corrupta. Todos os partidos políticos brasileiros são organizações criminosas. Não existe situação ou oposição no Brasil. Tudo não passa de um teatrinho muito bem orquestrado para ludibriar a população. O que a classe política realmente quer é nos escravizar, e nos mandar a conta da vida de ostensivo luxo da qual usufruem. Enquanto isso, eles planejam golpes e mais golpes, para ficarem cada vez mais ricos poderosos, influentes e intocáveis. Eles nos escravizam, é para isso que eles trabalham. Em especial, Lula, Michel Temer, Renan Calheiros, Romero Jucá e Lindbergh Farias – mas não limitado a eles, evidentemente – são indivíduos que ocupam posições estratégicas, de organização, poder e liderança na grande oligarquia política que opera a serviço do crime organizado no Brasil, e precisam ser eliminados. Como passar o país a limpo, senão através de uma violenta, porém necessária conflagração?  

Já passou da hora de alimentarmos o espírito de insurreição no Brasil. O extermínio da classe política é urgente, irremediável e fundamental. Temos duas, e apenas duas opções, diante de nós: lutarmos com bravura, ou nos tornarmos um trágico, pungente e moribundo análogo continental da Venezuela. 

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.