Blog

A importância fundamental de ser um reacionário

A importância fundamental de ser um reacionário

Desde que o poder e a influência da esquerda brasileira começaram a se diluir, se desintegrar e a se desmantelar por completo no panorama político, social e cultural da nação, começamos a perceber, primeiramente de forma mais sutil, depois de forma mais agressiva e protuberante, o princípio de uma grande reação popular. Reação, esta, que não hesitava em expressar todo o seu descontentamento com relação às ditatoriais, malignas e abusivas políticas tão ostensivamente auferidas pela esquerda nacional. Com a eventual perda de território, e vendo a sua hegemonia completamente ameaçada, a esquerda começou a se reorganizar.

Não obstante, hoje temos uma grande ala conservadora e reacionária na sociedade brasileira, que, depois de manifestar-se efusivamente, de diversas formas e maneiras, contra as agressões autoritárias da esquerda, está determinada a não recuar em suas crenças e valores. E, definitivamente, não está mais disposta a engolir e aceitar passivamente as grandiloquentes e tirânicas mentiras, que éramos obrigados a engolir: que o Brasil passou por uma ditadura militar, que Carlos Marighella foi um formidável herói que lutava pela democracia, que o PT é um partido sério, preocupado com a população, que Che Guevara foi um mártir, que Fidel Castro foi um grande redentor socialista, e todo essa ladainha hipócrita, ideologicamente enviesado, que a esquerda nunca cansa de regurgitar no mundo, na vida, nas universidades, nos livros, nas redes sociais. Espalhando fantasias e mitos como se fossem verdades incontestáveis. A prepotência tirânica e a depravada arrogância dos militantes socialistas não permite nenhum tipo de questionamento, concernente aos dogmas sagrados de sua sacrossanta religião política, ostensivamente ditatorial, e sempre hostil com aqueles que desafiam seus postulados e apontamentos.

Tivesse todo esse movimento conservador vindo mais cedo, quem sabe não precisaríamos ter chegado a este ponto. Mas antes tarde do que nunca. Essa formidável reação conservadora veio para, definitivamente, tentar resgatar o Brasil da devastação socialista. Que, se por desgraça tivesse avançado um pouco mais em sua nefasta agenda, possivelmente teria nos deixado no mesmo patamar de caos, destruição e mortandade que a Venezuela.

Recentemente, em uma declaração que fez para a imprensa, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou estar profundamente preocupado com o terreno que a onda conservadora tem conquistado em território nacional, com expressivo apoio de parcela significativa da população brasileira. FHC, taxativo, declarou ser contra o avanço de valores, ideias e ideais conservadores. E ainda reiterou a insígnia de suas credenciais marxistas, ao afirmar que, desde a juventude, mantém "ligação com o pessoal do partido comunista".

Foda-se FHC. Não gosta de conservadorismo? De um jeito ou de outro, vai ter que nos engolir! E o sabor vai ser bem amargo. 

Compartilhe esse texto:

Sobre Mim

Sobre Mim

O Ultraconservador é um reacionário cristão antissocialista, anticomunista, antimarxista e antiestatista. Um indivíduo sem medo do establishment socialdemocrata ditatorial, corrosivo e totalitário. É colaborador de periódicos (jornais e revistas) e portais eletrônicos do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.